Notícia

Idec propõe colocar selos de advertência nos rótulos de alimentos

Idec propõe colocar selos de advertência nos rótulos de alimentos

Identificar clara e didaticamente o teor de açúcar e outros nutrientes prejudiciais à saúde nos rótulos dos alimentos. Essa é a proposta da campanha que o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) vem realizando junto à Anvisa. A ideia é que o significado das quantidades de cada ingrediente possa ser visualizado com facilidade e entendido por qualquer pessoa.

Para a maioria dos consumidores leigos, interpretar rótulos de embalagens é tão complicado que tem até aplicativos feitos especialmente para ajudar nessa tarefa. Um dos maiores motivadores dessa dificuldade é a nomenclatura dos elementos, que muitas vezes vem mascarados. O açúcar, por exemplo, é um deles, e pode vir nomeado de muitas maneiras diferentes.

A proposta da campanha, que já foi enviada à Anvisa, foi elaborada em parceira com a Universidade Federal do Paraná (UFPR), e tem como principal diferencial os chamados "selos de advertência", triângulos pretos que devem constar na parte frontal da embalagem em local visível.

Os selos indicariam sempre que houvesse quantidades excessivas e potencialmente maléficas de itens como açúcar, sódio, gorduras saturadas, adoçantes artificiais, entre outros.

Além disso, a campanha do Idec também prevê que os rótulos de alimentos processados ou ultraprocessados não contenha nenhum tipo de indicativo de benefícios à saúde, ou seja, propaganda enganosa. Tal medida inclui também o apelo à publicidade infantil, como ilustrações de personagens de desenho, por exemplo. Cereais matinais, por exemplo, não poderão ter imagens de personagens e desenhos conhecidos pelas crianças.

A nutricionista do Instituto, Ana Paula Bortoletto, explica que a escolha do triângulo foi planejada. De acordo com a pesquisa realizada para criar a campanha, o símbolo apresenta algumas vantagens para o entendimento, como o fato de ser uma forma que não perde a percepção em tamanho reduzido. Além disso, o triângulo já é conhecido como uma advertência no Brasil, devido à rotulagem de alimentos transgênicos. Já as cores utilizadas, preto e branco, possuem um melhor contraste e destaque em relação aos demais elementos da embalagem.

Entrevista

Uma nova forma de consumir

Uma nova forma de consumir

O consumo colaborativo pode mudar o sistema de produção e economia globais? Para a pesquisadora Ana Cirne Paes de Barros, o mais provável é que as práticas hegemônicas continuem a existir, mas novas formas de consumo se espalhem de forma independente, proporcionando maior autonomia aos consumidores. 

Artigo

Pedágio da Via Bahia: 21,6% de aumento, 100% de desrespeito

Pedágio da Via Bahia: 21,6% de aumento, 100% de desrespeito

No Natal de 2016 os baianos receberam um belo presente da concessionária Via Bahia, que administra rodovias federais no estado: o aumento do pedágio em 21,6% na BR-116 e 16% na BR-324. Os reajustes foram autorizados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Vídeos

Rachel Botsman

Autora do livro "O Que é Meu é Seu - Como o Consumo Colaborativo Vai Mudar o Nosso Mundo", Rachel Botsman diz que estamos conectados para compartilhar. Em 15 minutos, ela tenta te convencer que o consumo colaborativo é o caminho.



Enquete

Você é a favor da legalização dos jogos de azar?


Ver resultado

Se ligue

Sua conta veio alta? Confira o que pode vampirizar sua energia

Sua conta veio alta? Confira o que pode vampirizar sua energia

Chuveiro na posição "inverno" consome 30% mais. Banhos mais curtos ajudam a economizar até 40%. Geladeira em má condição consome até 70% da conta do mês. Em casa ou no escritório, tire os aparelhos eletrônicos da tomada quando estão fora de uso, principalmente televisão, aparelhos de DVD/Blue-Ray e de som.