Notícia

Fazendários param SACs e Inspetorias da Sefaz em quatro regiões da Bahia

Fazendários param SACs e Inspetorias da Sefaz em quatro regiões da Bahia

Os fazendários continuam com as paralisações nesta terça (03), desta vez nos SACs e postos de atendimento ao contribuinte das inspetorias da Sefaz-BA, nas regiões Sul, Sudoeste, Extremo Sul e Oeste da Bahia. O expediente está suspenso nas cidades de Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Brumado, Eunápolis, Guanambi, Ilhéus, Itabuna, Itamaraju, Itapetinga, Jequié, Luís Eduardo Magalhães, Porto Seguro, Santa Maria da Vitória, Teixeira de Freitas e Vitória da Conquista.

O movimento foi a alternativa encontrada pelos fazendários para chamarem a atenção da sociedade baiana e do próprio governo para a situação da Secretaria da Fazenda. O clima na Sefaz é ruim, com desestímulo, sobrecarga de trabalho, falta de pessoal para desempenhar tarefas de fiscalização e internas, tecnologia obsoleta, em especial nos postos fiscais, onde nem link de internet funciona (situação que também já ocorre em alguns postos de atendimento nos muncípios), carros das volantes parados por falta de manutenção, alojamentos de péssima qualidade, entre outros problemas.

Os fazendários têm feito sua parte, mesmo sob todas as adversas condições, batendo as metas de arrecadação no 2º e 3º trimestres superou a meta estabelecida pela administração. E as informações disponíveis mostram que no 3º trimestre a meta também foi batida. Porém, não há qualquer reconhecimento pelo trabalho e nem qualquer negociação em torno da pauta de reivindicações. Os fazendários estão com salários congelados, perdas que ultrapassam 20% desde 2013, corte em benefícios históricos, entre outros prejuízos.

Este protesto se repetirá nas regiões Norte e Metropolitana, nas próximas semanas, calendário que culminará com uma paralisação geral, que vai acontecer em 26 de outubro, com ato público e assembleia no Prédio-sede da Secretaria, no Centro Administrativo, em Salvador.  

 

Entrevista

Uma nova forma de consumir

Uma nova forma de consumir

O consumo colaborativo pode mudar o sistema de produção e economia globais? Para a pesquisadora Ana Cirne Paes de Barros, o mais provável é que as práticas hegemônicas continuem a existir, mas novas formas de consumo se espalhem de forma independente, proporcionando maior autonomia aos consumidores. 

Artigo

Pedágio da Via Bahia: 21,6% de aumento, 100% de desrespeito

Pedágio da Via Bahia: 21,6% de aumento, 100% de desrespeito

No Natal de 2016 os baianos receberam um belo presente da concessionária Via Bahia, que administra rodovias federais no estado: o aumento do pedágio em 21,6% na BR-116 e 16% na BR-324. Os reajustes foram autorizados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Vídeos

Rachel Botsman

Autora do livro "O Que é Meu é Seu - Como o Consumo Colaborativo Vai Mudar o Nosso Mundo", Rachel Botsman diz que estamos conectados para compartilhar. Em 15 minutos, ela tenta te convencer que o consumo colaborativo é o caminho.



Enquete

Você é a favor da legalização dos jogos de azar?


Ver resultado

Se ligue

Sua conta veio alta? Confira o que pode vampirizar sua energia

Sua conta veio alta? Confira o que pode vampirizar sua energia

Chuveiro na posição "inverno" consome 30% mais. Banhos mais curtos ajudam a economizar até 40%. Geladeira em má condição consome até 70% da conta do mês. Em casa ou no escritório, tire os aparelhos eletrônicos da tomada quando estão fora de uso, principalmente televisão, aparelhos de DVD/Blue-Ray e de som.